fbpx

O que seu hálito diz sobre sua saúde bucal

O que seu hálito diz sobre sua saúde bucal

O mau hálito muitas vezes pode ser sinal de algumas doenças no organismo. Diversos especialista informam que nem sempre o mau hálito é causado por problemas nos dentes, mas sim por vezes acabar sendo uma reação do próprio organismo. “Cerca de 75% dos casos de halitose (mau hálito) têm sua origem em um problema bucal. Outras causas do mau hálito são os distúrbios gástricos, infecções e doença gengival grave”.

O que é mau hálito?

O hálito de uma pessoa é literalmente o cheiro do ar que a pessoa solta pela boca. O ar expirado com odor ruim, com mau cheiro é chamado de mau hálito. O mau hálito não é considerado uma doença, mas sim um sintoma de que algo está errado com seu organismo.

É também conhecido como halitose e acontece principalmente pela falta de higiene bucal. No Brasil, aproximadamente 30% da população sofre com este problema, segundo a Associação Brasileira de Halitose. No entanto, se a sua higiene bucal está sendo feita corretamente e o mau cheiro persiste, pode ser um alerta para outros problemas, como uma inflamação, ou denunciam o agravamento de uma doença já instalada, como o câncer e a cirrose.

Relação entre doença bucal e do organismo

Na maioria das vezes nos acostumamos a associar o mau cheiro com falta de higiene e doenças na região dos dentes; porém este sintoma pode estar indicando algo mais sério, que necessita de atenção e, muitas vezes, de intervenção médica, como inflamações nos brônquios, na laringe e no pulmão.

Pesquisas feitas recentemente indicam que há uma relação entre doenças bucais e doenças sistêmicas (diabetes, doenças cardiovasculares, derrame cerebral, infecções respiratórias, mal de Alzheimer) e outros problemas graves. Quando o tecido gengival se inflama dando origem à gengivite, mediadores inflamatórios chamados citocinas, presentes no tecido gengival, podem passar para a saliva e serem aspirados para dentro dos pulmões.

As bactérias responsáveis pela periodontite também podem penetrar no sistema circulatório e deslocar-se até outras partes do corpo. Estas bactérias bucais podem causar infecções secundárias ou a inflamação de outros tecidos ou sistemas orgânicos do corpo.
 

Diagnóstico de mau hálito

De maneira geral, quem possui odores fortes na boca não percebe que sofre de mau hálito. Ser alertado por algum amigo ou familiar pode ser um sinal importante, pois assim como os sintomas das doenças bucais citadas acima, indicam a necessidade de uma consulta odontológica.

O diagnóstico é obtido por meio de criteriosa anamnese e exame clínico, os quais devem incluir a análise de doenças em cavidade oral e análise objetiva do fluxo salivar, onde os possíveis fatores envolvidos na origem do mau hálito são avaliados.

Os exames para diagnóstico incluem exame físico do paciente, análise do fluxo salivar, questionários específicos e, em casos mais raros, a solicitação de exames de sangue e endoscopia.

Como cuidar e prevenir o mau hálito

A melhor forma para combater o mau hálito é sem dúvida a higiene bucal. Os cuidados de higiene com sua boca impossibilitarão o acúmulo de resíduos alimentares entre os dentes e reduzirão o risco de desenvolvimento de cárie e doença periodontal.

Recomenda-se escovar os dentes três vezes ao dia com creme dental contendo flúor e o usar o fio dental. Escovar a língua também é necessário, para remover bactérias que contribuem com os odores bucais (especialmente na parte posterior, onde se encontram a maioria das bactérias). Se utilizar próteses removíveis, é super importante e aconselhável, retirar à noite e escovar por inteiro com limpador específico antes de reusar.

Se o mau hálito é provocado por boca seca, considere mascar gomas de mascar sem açúcar ou chupar balas sem açúcar para ajudar a estimular o fluxo salivar. Fale com seu dentista sobre suas preocupações com mau hálito.

Fonte: MinhaVida, Digoreste, Colgate, Guiame
 

Adicionar Comentário