fbpx

Diastema: a causa dos dentes separados

Diastema: a causa dos dentes separados

Já ouviu falar em Diastema? Diastema é uma lacuna ou espaço entre dois dentes. O termo é mais comumente aplicado a um espaço aberto entre os incisivos superiores (dentes frontais). Ela acontece quando há uma relação desigual entre o tamanho dos dentes e da maxila. Muitas espécies de mamíferos têm diastema como uma característica normal.

Mesmo não sendo necessariamente um problema de saúde bucal, pode trazer algum incômodo estético e para auto estima da pessoa, principalmente quando o espaçamento entre os dentes são grandes. Contudo, para quem se incomoda com isso, há tratamentos para corrigir e reduzir o diastema, melhorando a estética do sorriso.

Quais são as causas do diastema?

Existem diversos fatores que contribuem para o surgimento desse espaço alargado entre os dentes. Entre eles, podemos citar a presença de freio labial na região dos incisivos centrais superiores ou algum dente que não nasceu, interferindo no desenvolvimento dos elementos adjacentes. Alguns estudos demonstram que problemas oclusais e a pressão da língua nos dentes também podem gerar diastemas.

Durante a infância, especialmente quando os dentes de leite estão nascendo, é comum que as crianças tenham diastema, pois os dentes frontais são maiores e vão precisar de mais espaço para se desenvolverem. Quando chega a fase de troca para os dentes permanentes, esses espaços tendem a se fechar naturalmente, porém alguns fatores biológicos, hábitos e uso de acessórios infantis podem comprometer essa reorganização dental, como:

  • tamanho diferente dos dentes;
  • ausência de algum dente;
  • anormalidade no freio labial — tecido que vai do lábio à gengiva, chegando aos dentes superiores centrais;
  • chupar o dedo, usar chupeta e mamadeira — esses hábitos exercem pressão sobre os dentes;
  • problemas de alinhamento e oclusão;
  • pressão da língua sobre os dentes;
  • respiração bucal — respirar pela boca reduz a pressão dos lábios sobre os dentes, contribuindo para a abertura dos diastemas;
  • existência de dentes extras que não nasceram.

 

O diastema causa problemas de saúde?

Mesmo sendo agradável para alguns que não se importam com o fator estético e o consideram como charme, o diastema é visto como um problema estético aos olhos de muitos profissionais. Na maior parte das vezes, traz mais desconforto estético que problemas de saúde. No entanto, para algumas pessoas, em especial as crianças, os dentes separados podem causar distúrbios fonéticos, como a produção de sons indesejáveis e dificuldade de entonação.

No entanto, vale ressaltar, que para pessoas que possuem diastema nos dentes responsáveis pela mastigação, ou seja, no fundo da boca, podem apresentar alguns problemas de saúde bucal, já que restos de alimentos se acumulam mais facilmente nesses espaços, podendo provocar inflamações na gengiva. Nesses casos, é necessário um cuidado especial com a escovação e o uso do fio dental.

Como tratar os dentes espaçados?

Para corrigir o problema de dentes separados, existem diversos métodos; a forma mais indicada dependerá do grau do diastema, das condições da saúde bucal relacionada aos dentes separados, a adaptação do paciente e outras avaliações clínicas que deverá ser realizada pelo dentista. Neste caso é recomendado fazer uma avaliação para que o dentista possa indicar a abordagem mais recomendada.

Dentre as opções, destacamos:

Aparelhos ortodônticos

O uso de aparelho ortodôntico é uma das alternativas mais comuns e viáveis para casos de diastema, sendo geralmente indicado quando se faz necessário realizar uma movimentação maior dos dentes ou se há necessidade de realinhá-los. Mesmo sendo um tratamento mais longo que as demais opções, costuma apresentar resultados satisfatórios.

Com a evolução dos modelos de aparelhos dentários, é possível utilizar aparelhos transparentes, o que evita o sorriso metálico, sendo uma ótima opção para os adultos que têm uma preocupação maior com a estética. Saiba mais sobre aparelhos ortodônticos.

Restauração com resina ou porcelana

Se o diastema não aparentar ser extenso, é possível corrigir o espaçamento por meio de restaurações com resina ou porcelana. Neste formato, o dentista aumenta a largura dos dentes, reduzindo o espaço entre eles. A correção pode ser feita em um ou dois dias, de acordo com o material escolhido. Saiba mais sobre restaurações.

Lentes de contato dental

Lentes de contato dentais são próteses de porcelana parecidas com as facetas comuns mas muito mais finas, aplicadas com adesivo. As lentes tem uma espessura entre 0,2 e 0,4 mm, como a espessura de lentes de contato oculares. Através da lende de contato dental, o dentista aplica facetas em tamanhos iguais para diminuir o espaçamento entre os dentes. Saiba mais sobre lentes de contato dental.

Cirurgia

Para um método mais invasivo como a cirurgia, é indicado quando o diastema é causado pelo tamanho anormal do freio labial. Conhecido também como frenectomia, é feito pelo periodontista e tem o objetivo de reposicionar o freio labial e aumentar sua flexibilidade.

A alternativa da cirurgia é geralmente efetuadas em crianças para corrigir o diastema, onde após o procedimento, os dentes se deslocam de maneira mais próximos um do outro sozinhos. Já adolescentes, jovens e adultos ao realizarem cirurgias, geralmente precisam utilizar também aparelhos ortodônticos posteriormente para ajudar na correção da arcada.

Fonte: Compass, MinhaVida, Colgate

Adicionar Comentário